Posts Tagged ‘Ruriá Duprat’

Tom do Sertão. A música de Tom Jobim por Chitãozinho e Xororó.

quinta-feira, janeiro 25th, 2018

Meus amigos, esse post é dedicado ao CD Tom do Sertão: músicas de Tom Jobim, gênio brasileiro, interpretadas por Chitãozinho e Xororó, no qual participei na pesquisa de repertório, produção musical e arranjos de base em parceria com meus queridos amigos Claudio Paladini e Ney Marques. Os belíssimos arranjos de cordas ficaram por conta de Ruriá Duprat e Lucas Lima.

Trabalhar com a música de Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim, o maior compositor de música popular do mundo, na minha opinião, é lidar com jóias preciosas, e Chitãozinho e Xororó encararam brilhantemente o desafio de interpretá-las num tom sertanejo, revelando ao seu imenso público mais uma face da obra do nosso grande maestro.

Xororó ao telefone:

– Edgard, êsse é o disco mais sertanejo que gravamos em toda carreira!

Que bom, saber que a música de Tom Jobim vai chegar aos fãs da mais importante dupla sertaneja!

   

Na trama, com a dupla, Ney Marques e Claudio Paladini em minha casa.

 

Sugestões para foto da capa e contracapa. Tom Jobim e Vinicius de Moraes em Brasília em 1959 . Estavam hospedados no Catetinho, com a missão de compor a Sinfonia da Alvorada, encomendada a eles pelo presidente Juscelino Kubitschek para comemorar o nascimento da nova capital do Brasil.

Água de Beber foi composta naqueles, sob a inspiração de um “lindo olho d’água que brotava no capão do mato”, como descreveu Vinicius em crônica.

   

       

 

No Estúdio Trama

 

 

 

 

 

 

 

Águas de Março (Antonio Carlos Jobim)

Estrada Branca  (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)

Chovendo na roseira   (Antonio Carlos Jobim)

A chuva caiu   (Antonio Carlos Jobim e Luís Bonfá)

Se é por falta de adeus (Antonio Carlos Jobim e  Dolores Duran)

Se todos fossem iguais a você  (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)

Caminho de pedra  (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)

Correnteza (Antonio Carlos Jobim e Luís Bonfá)

Chega de Saudade  (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes)

Equipe unida

Entrevista no Programa do Jô. Março 2015:

http://globotv.globo.com/rede-globo/programa-do-jo/t/videos/v/chitaozinho-xororo-falam-sobre-o-disco-tom-do-sertao/4074680/

Um abraço a todos que participaram desse projeto maravilhoso.

 

Clique para ampliar

 

Com Ch & X e Ney Marques

Viva Tom Jobim!

Viva o Tom do Sertão!

Uma homenagem ao imenso Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim e aos queridos amigos Chitãozinho e Xororó que gravaram, magnificamente o CD Tom do Sertão.

Voz: maestro Claudio Paladini

Paul Mounsey – Edgard Poças

Recitativo:

Gado miúdo, curral redondo

Não há quem conte, senão seu dono

 

Canto:

Lá, lá no coração

É lá onde a emoção

Onde o que fazer

Se não luar

Luar de amor

Do meu sertão

Ah, esse meu viver

Cantar esse  bem querer

Esse meu irmão

Essa canção que tem o tom

Tom do sertão

Quanto mais eu canto

Mais estou perto do sertão

Meu avarandado, o cantinho, o violão

Na asa do Jereba voa imaginação

Sertanejo é o tom que eu canto

Meu luar de prata, o pé de manjericão

Cheiro de saudade

Aconchego pé no chão

Passo Preto faz a sua casa no capão

Sertanejo é o tom que eu canto

Tão brasileiro

Sertanejo sim senhor

No cantar dos passarinhos

Nessa história de amor

Que invade nosso peito

Numa forma de oração

Esse é o tom

Tom do Sertão

Minha Terra

quarta-feira, março 30th, 2016

Para os seres despertos, há somente um mundo comum.

Heráclito

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Canto: Paula e Edgard Poças

Minha Terra

Nelson Ayres e Edgard Poças

Dá licença dá licença aí

É a vez da minha terra

De cantar os seu encantos

E as riquezas que ela tem

Minha terra é tão bonita

Que dá gosto a gente ver

E não há lugar no mundo

Tão bom de se viver

 

Nosso céu tem mais estrelas

Nossos bosques tem mais flores

Nossa vida mais amores

E aqui eu sou feliz

 

Minha Terra é um barquinho

Navegando no infinito

Minha Terra meu planeta azul

Você é meu país.

Mi Tierra

Para los seres despiertos, solo hay un mundo común.

Heráclito

Perdona, Perdona,

És la vez de mi tierra

De cantar sus encantos

Y las riquezas que  hay en ella.

 

Mi tierra és tan bonita

Que és sabroso verla

Y no hay sitio en el mundo

Tan bueno de vivir

 

Nuestro cielo tiene más estrellas

Nuestros bosques tienen mas flores

Nuestras vidad más amores

Y aqui yo soy feliz

 

Mi tierra és un barquito

Navegando en el infinito

Mi tierra, mi planeta azul,

Eres mi pais

My Land

For the awakened beings, there is only one common world.

Heraclitus

 Excuse me excuse me

This is the turn of my land

To sing it’s charms

And it’s wealths

 

My land is so beatiful

That delights me to see

And there is no place on earth

So nice to live in

 

Our sky have more stars

Our forests have more flowers

Our life have more love

And here I am happy

 

My land is a small boat

Navigating at the infinity

My land, my blue planet

You are my country.

Ma Terre

Pourles êtres éveillés, il n’ya qu’un seul monde commun.

Héraclite

Je demande le consentement

Le moment venu de louer mon coin

De faire entendre ses enchantements

Ne pas dévoiler ses richesses en vain

 

Si splendide est mon terroir

Qui rempli les yeux

Car il n’y a pas un lieu

Si beau a vivre et a voir

 

Notre ciel a plus d’étoiles

Nos forêts ont plus de fleurs

Nos vies tant d’amours

Et ici je suis heureux

 

Mon pays est un petit vaisseau

Navigant dans l’infinit

Mon pays, mon planète bleu

Tu es mon pays

わがふるさと

思考はすべてのものにとって共通のものとしてある

Heráclito

さぁさ、ごめんよ、聞いてくれ

われのおくにの物語り

魅惑をたたえる歌声は

魔法のような華やかさ

 

わがふるさとは、うるわしく

いついつまでも見あきない

広い世界にただひとつ

生きる喜び感じる所

 

空には遠く星が満ち

森には花が咲き乱れ

わが身は愛が満ちあふれ

わが幸せは今ここに

 

わがふるさとは小舟のごとく

果てしなく漕ぎ渡る

わがふるさとは青色大地

君こそは、わがおくになり

 

WAGA FURUSATO

 

Saa, gomen yo, kiite kure

Ware no kuni no monogatari

Miwaku wo tataeru utagoe wa

Mahoo no yoo na hanayakasa

 

Waga furusato wa uruwashiku

Itsu itsu made mo miakinai

Hiroi sekai ni tada hitotsu

 

Sora ni wa ooku hoshi ga michi

Mori ni wa hana ga sakimidare

Waga mi wa ai ga michiafure

Waga shiawase wa ima koko ni

 

Waga furusato wa kobune no gotoku

Hateshinaku kogiwataru

Waga furusato wa seishoku oochi

Kimi koso wa, waga okuni ni nari

La Mia Terra

Per gli esseri risvegliati, c’è solo un mondo comune.
Eraclito

Permesso, chiedo permesso

È il turno della mia terra

Di osannare le sue grazie

E con esse, le sue ricchezze

 

La mia terra è così bella

Che fa piacere a vedersi

non vi è un luogo più incantevole al mondo

Tanto bello da viversi

 

Il nostro cielo ha più stelle

I nostri boschi, più fiori

Le nostre vite, più amori

E qui sono felice

 

La mia terra è un battello

Navigando nell’infinito

Terra mia, mio pianeta azzurro

Tu sei il mio paese

Meine Heimat

  Für erwachte Menschen gibt es nur eine gemeinsame Welt.

Heraklit

Ich bitte um Verzeihung,

aber jetzt ist die Zeit gekommen,

dass meine Heimat ihre Schönheiten

und ihren Reichtum singen kann

Meine Heimat ist so schön,

wir freuen uns, dies zu sehen.

es gibt keinen anderen Ort

wo man so gut leben kann.

 

Unser Himmel hat mehr Sterne

Unsere Wälder haben mehr Blumen

Unser Leben mehr Liebe

Hier fühle ich mich sehr glücklich

 

Meine Heimat ist wie ein kleines Boot,

das ins Unendliche fährt

Meine Heimat, mein blauer Planet

Du bist mein Zuhause.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

나의 땅 

깨어있는 자들에게는, 오직 공통된 세상만이 존재 한다.

헤라클리트

 실례합니다. 저기,  실례합니다.

나의 땅의 차례 입니다.

그의 매력을 노래 부르며

그가 갖고있는 풍부함에 대해서,

나의 땅은 매우 아름답습니다.

 그렇게 보는것만으로도 즐겁지요

또한 세계 어느곳보다

 살기좋은곳이 없습니다.

우리의 하늘엔 별이 더 많고

우리의 숲엔 꽃이 더 많으며

우리의 인생엔 사랑이 더 많아

 여기 저는 행복합니다.

나의 땅은 통통배이며

무한을 항해하며

나의 땅, 나의 파랑 행성

당신은 나의 나라이다.

 

 

 

Epígrafe e trecho do prefácio de A Conexão Planetária, o mercado, o ciberespaço, a consciência, de Pierre Lèvy, editora 34. Valeler. Tradução de Maria Lúcia Homem e Ronaldo Entler:

“Até aqui, poderíamos dizer, os homens viviam ao mesmo tempo dispersos e fechados neles mesmos, como passageiros acidentalmente reunidos no portão de um navio do qual não suspeitavam nem a natureza móvel, nem o movimento. Sobre a terra que os agrupava, não concebiam, pois, nada de melhor a fazer alem de discutir ou se distrair. Eis que por acaso, ou melhor, pelo efeito normal da idade, nossos olhos acabam por se abrir. Os mais ousados dentre nós alcançaram a ponte. Eles viram a nave que nos levava. Eles perceberam a espuma ao longo da proa. Eles se deram conta de que havia uma caldeira para alimentar – e também um leme a governar. E sobretudo eles viram flutuar nuvens, eles aspiraram o perfume das ilhas para alem da linha do horizonte: não mais a agitação humana ali – não a deriva – , mas a viagem.” (Teilhard de Chardin).

“De agora em diante, a grande aventura não é mais aquela de países, de nações, de religiões ou de ismos quaisquer; a grande aventura é a aventura da humanidade, a aventura da espécie mais inteligente do universo conhecido. Essa espécie ainda não é completamente civilizada. Ela ainda não tomou consciência integralmente de que forma apenas uma única sociedade inteligente. Mas a unidade da humanidade está se fazendo agora. Após tantos  esforços, é enfim, chegada a unificação da humanidade, sob  uma forma que nós não esperávamos  não é um império, não é uma religião conquistadora, uma ideologia, uma raça pretensamente superior, uma ditadura qualquer; são imagens, canções, o comércio, o dinheiro, a ciência, a técnica, as viagens, as miscigenações, a Internet, um processo coletivo e multiforme que brota de todo  lugar. Que acontecimento extraordinário! “ (Pierre Lèvy).

Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma,
E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.

O Infante, Mar Portuguez, Mensagem, Fernando Pessoa

Agradecimentos: Marcos Xuxa Levy, Silvia Ocougne, Jaime Lee, Ruriá Duprat , Carlo Gancia, Hidenori Sakao, João Rodolfo Stroeter e Karlo Asis Shaya.

Já esta no Youtube:

Jean William. Dois Atos.

domingo, agosto 10th, 2014

Meus amigos, aí está o resultado de um trabalho realizado com muito amor e dedicação. Dois Atos, dois CDs. Jean William é um grande artista. Agradeço a ele a oportunidade de fazer a direção artística, consultoria de repertório, além da produção e direção Musical ao lado do querido Ney Marques, e mais ainda, a sua interpretação de Estrelinha, parceria com meu velho amigo Nelson Ayres, e da Serenata, letra que escrevi em homenagem ao genial Cândido das Nevessobre a famosa melodia (Ständchen) de Franz Schubert.

CD #1

01. Noche Ronda (Agustin Lara & Maria Tereza Lara)

Participacão: Fafá de Belém

Arranjo e piano : Ruriá Duprat

02. Amor em Lágrimas (Claudio Santoro & Vinícius de Moraes)

Arranjo e piano: Nelson Ayres

Contrabaixo: Zeca Assumpção

03. All The Things You Are ( (Jerome Kern & Oscar Hammerstein II), com citação de Night and Day (Cole Porter/) e Fly Me to the Moon (Bart Howard)

Participação: Alissa Sanders

Arranjo e piano: Nelson Ayres

04. Estrelinha (Nelson Ayres & Edgard Poças)

Arranjo e piano: Nelson Ayres

05. Hymne a L’amour (Marguerite Monnot & Edith Piaf)

Arranjo e piano: Ruriá Duprat

Violões: Webster Santos

Acordeão: Marinho

06. Poema dos Olhos da Amada (Paulo Soledade/ Vinicius de Moraes)

Arranjo e piano: André Mehmari

Suíte dos Pescadores (Dorival Caymmi)*

O Mar, O Bem do Mar, Canção da Partida, Adeus da Esposa, Temporal, Cantiga da Noiva, Velório, É Doce Morrer no Mar, Canção da Partida.

*Todas as composições são de autoria de Dorival Caymmi, exceto É Doce Morrer no Mar que é parceria deste com Jorge Amado.

Montagem da suíte: Edgard Poças

Arranjo e violoncelo: Jaques Morelenbaum

Violão: Marco Pereira

Contrabaixo: Rodolfo Stroeter

Percussão: Caito Marcondes

Côro dos Pescadores: Jean William, Edgard Poças e Roberto Teixeira

Participações: Mônica Salmaso, Céu e Paula Morelenbaum

Orquestra de cordas:

Violinos: Adriana José de Melo, Alex Braga Ximenez, Cristina Cabral Fernandes da Costa, Fernando H.Travassos da Rosa, Heitor Hideo Fujiname, Luiz Britto Passos Amato, Marcos Henrique Scheffel, Nadilson Martins Gama, Otávio Scoss Nicolai, Pablo Zappelini de Leon, Paulo Calligopoulos, Ricardo Bem Haja da Fonseca.

Violas: Alexandre de Leon, Daniel Pires da Silva, Fábio Taguaferri Sabino, Roberta Lizandra Marcinkowski.

Cellos: Adriana Cristina de B. Holtz, Dimas Goudaroulis, Gustavo Pinto Lessa, Patrícia Mendonça Ribeiro.

Contrabaixo: Ana Valeria Poles de Oliveira.

Gravado nos estúdios:

Gravodisc: Engenheiro de áudio: Elcio Alvarez Filho, Assistente de estúdio: Gabriel Teixeira, Edição: Guido Baldacin

Estúdio Flautin 55: Engenheiro de audio: André Malaquias

Estúdio de André Mehmari

CD #2

01. Una furtiva lagrimada Opera L’elisir D’amore, de Gaetano Donizetti, com libreto de Felice Romani*

02. Ardir ah forse il cielo, voglio direda Opera L’elisir D’amore, de Gaetano Donizetti, com libreto de Felice Romani*

Dueto com Davide Rocca

03. Chiedi all’aura lusinghierada Opera L’elisir D’amore, de Gaetano Donizetti, com libreto de Felice Romani*

Dueto com Federica Vitali

04. Libiamo, Libiamo, da Opera Rigoletto de Giuseppe Verdi, com libreto de Francesco Maria Piave*

Dueto com Federica Vitali. Participação do Coral Luther King

05. Bella Figlia Dell’amore, da Opera Rigoletto de Giuseppe Verdi, com libreto de Francesco Maria Piave*

Quarteto com Federica Vitali, Adriana Clis, Jean William e Davide Rocca

06. Melodia Sentimental, de A Floresta do Amazonas, Heitor Villa-Lobos. Letra de Dora Vasconcelos**

07.  Serenata (Standchen), de Franz Schubert. Letra: Edgard Poças**

Orquestra Filarmonica Bachiana Sesi – SP:

Flauta: Ana Maria Gaigalas, Carlos Eduardo, Gomes de Souza

Clarinete: Leirson C.Maciel, Tiago José Garcia

Oboé: Gerson Quirino De Abreu, Wainer C. De Carvalho

Fagote: Eliseu Silva Nascimento, Osvanilson de Castro Ferreira

Trompa: Douglas Rodrigo Bruno da Costa, Eduardo Gomes da Silva, Rafael de Paula Nascimento, Vitor Ferreira Neves

Trompete: Adenilson Roberto Telles, Wellington de Souza Pinto

Trombone: Marcos Antonio Pacheco N. Junior: Marcos Henrique de Paula: Tiago Azevedo De Araújo

Tuba: Gustavo de Jesus Campos

Contrabaixo: Rafael Rodrigues da Silva, Thiago Hessel De Paula, Thiago Paganelli de Oliveira

Percussão: Daniel Dias de Lima, Natali Calandrin Martins

Violino: Ana Camila Castilho Bordino, Anderson Alves Tavares< Andréa De Araujo Campos, Andressa dos Santos Matheus, Carolina Camargo Duarte, Cintia Nunes Leite de Camargo, Davi Ricardo Mirada Gama, Dorin Serban Tudoras, Eduardo Augusto de Almeida Silva, Eduardo M.Leite de Camargo, Fellipe Moreira Santarelli, Flávio Geraldini, Hanry Dawson Oliveira Ribeiro, Hudson F.Gorzoni Pires, Israel Fogaça Junior, Jonathan Souza Cardoso dos Santos, Natalia Portilho Mattos, Pedro Roberti Gobeth, Renato Marins Yokota, Sara Silva de Oliveira

Viola: Danielle Lima de Andrade, Denise de Freitas Fukuda, Elisa Graciela Ribeiro, Everton Rodrigues de Souza, Francisco Ederson F.Pereira, Tiago Vieira Rocha

Violoncelo: Alice Mayumi Michetelli, Franklin Martis Chaves, Rafael Victor F.Fernandes, Thais Camargo Duarte, Túlio Padilha Pires, Wellington Ramos

Coral Luther King: Sira Milani, Wagner Dias, David Matias Salim Neto, Roberto Mendes Barbosa, Cintia Derio, Daniel Giffoni, Daniel José Lopes, Daiane Scales Cezario, Alba Stela Zilahi, Alex Mastropasqua, Andréia Balbino, Antonio Martins Neto, Carolina da Silva, Irene B. Moreira dos Santos Kabengele, Débora Maclean, Denise Sacchetto, Dina Valeria Milani, Enilde Borges Costa, Francisca Monteiro de Oliveira, Garbo Aranyi, Gustavo Manzani, Ione A. Rodrigues de Souza, Jacira dos Santos Costa, Joanice  Cerqueira Fonseca, João Afonso Filho, Larissa Acelina Casemiro de Queiroz, Geni Aparecida Barbosa, Luisa Ventura Giraldez, Fernandes dos Santos, Mariana Anacleto, Milena M. De Andrade, Nivaldo Marcelino, Paulo Rogério Jacovick, Rodrigo Garcia, Rodrigo Wagner de Freitas, Rogério Tabyra, Rosana Taketomi de Araújo e Victor Ribeiro de Oliveira.

Gravado ao vivo na Sinagoga Shalom

Engenheiro de audio: Gato

Edição: Guido Baldacin

Fotos da capa : Danilo Mantovani

Projeto Gráfico: Aldeia Idéias

Direção de Arte: Paulo Hardt/ Matheus Hardt

Produção Fonográfica: Dabliú

Gerencia de Produção: Tatiana B.Librelato

Produção Executiva: Zezito Marques da Costa

Direção Artística e Consultoria de Repertório: Edgard Poças

Produção e Direção Musical: Edgard Poças e Ney Marques

Direção de Produção: Fred Rossi

 •

 Aperitivo do CD #1

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Documentário fotográfico das gravações:

Ruriá Duprat, Fafá de Belém, Edgard Poças e Jean William

 

McDonald’s • That’s Amore

sexta-feira, dezembro 2nd, 2005

Agencia: Taterka

Letras: Edgard Poças

Canto e violão: Edgard Poças

Participação: Diogo Poças

Teclados: Ruriá Duprat

Gravação: dezembro de 2005 no estúdio Banda Sonora

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar

McDonald’s • Abraços

sexta-feira, abril 14th, 2000

Quanta coisa cabe num abraço

Parece um laço…

Parece um laço…

Filme TV • 60″

Agencia: Taterka

Produtora do filme: TVC

Texto, Composição e Locução: Edgard Poças

Arranjo: Ruriá Duprat Gravado na Banda Sonora em abril de 2000

.

 

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Clique para ampliar

Inu Natu di Hopi Hari

segunda-feira, novembro 8th, 1999

Inu natu di HOPI HARI

Hino do Hopi Hari, parceria com Ruriá Duprat e Sérvulo Almeida

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

 

Bom Dia ! Viva um dia feliz !

Sorria sorria

Bom dia alegria do nosso país

 

Que país é este, simpática nação

Será que existe ou é imaginação ?

 

Estamos em HOPI HARI!

Aqui HOPI HARI e muita diversão

 

HOPI HARI tem esplendor da natureza

HOPI HARI, vem que tem !

 

– Que é que tem  aí ?

– Aventura !

– Que mais que tem aí?

– Brincadeira !

– Aventura, brincadeira

– Tem que se divertir !

 

Frio na barriga,

Arrepio,

Tem espanto de montão

A velocidade da emoção

– Bate forte coração !

 

– Vamos cantar nosso rap Hip Hop, Hopi Hari !

 

Simpático, didático, solícito, assaz caloroso

Jamais sorumbático!

Veloz, solidário, expedito, zeloso

Sou prestativo e prestimoso

Sou patriótico!

Venha daí

Estou orgulhoso

De estar aqui !

 

Nosso território é alto astral

E temos nossa capital

E ARIBABIBA ?

O que quer dizer ?

Quem é capaz de responder ?

 

ARIBABIBA é o nosso jeito de viver

Com muito riso

Muita alegria

Gargalhada

Pra valer

HOPI HARI ! HOPI HARI !

 

Nós somos fiéis soldados

Da alegria do bom humor

As Forças são DesArmadas

E carregadas com muito amor !

 

A nossa bandeira é linda

O nosso hino de arrasar

Bon bini a HOPI HARI !

A aventura vai começar

– Pronto pra começar !

– Já !

 

Uni Duni Te

HOPI colorê

Tudo aqui foi feito pra você !

Hopi Hopi Ho !

Ho!

Hari Hari Ha !

Ha !

Agora ‘tá na hora de brincar !

 

Hopi Hopi Ho !

Hari Hari Ha !

Ha !

Você vai adorar e vai voltar !

– Bon Bini !

Hopi Hari ! Hopi !

Hari Hopi  Hari ! Ho !

Hopi Hari !

 

 

Agência: Taterka

Produtora do Filme: TVC

Gravado na Banda Sonora em Novembo de 1999

 

 

A Estrela Linda e o Grilo Feliz

domingo, junho 6th, 1999

Clique para ampliar

 

Clique para ampliar

    

Letra do tema  A Estrela Linda para música do meu querido parceiro Ruriá Duprat.
       

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

A Estrela Linda e o Grilo Feliz (Ruriá Duprat e Edgard Poças)

Edgard oPças e Ruriá Duprat

Braguinha 90 anos 90.

quinta-feira, maio 8th, 1997

 

Convidado por Rodolfo Stroeter,

escrevi o roteiro para esse espetáculo que contou com um elenco maravilhoso.

   

Johnny Alf

 

 

 

 

 

 

Ruriá Duprat e Luiz Roberto Oliveira

 

Noite Ilustrada

Foi a estréia da minha filha Céu nos palcos. Cantou Tem gato na Tuba.

Com minha filha Céu

 

Primeiras e últimas páginas do roteiro original:

 

  

   

Depoimentos inseridos durante o espetáculo:

Mário Lago

Washington Olivetto

José Ramos Tinhorão

Joyce Pascowitch

Max Nunes

Aurora Miranda

Carlos Manga

Gilberto Gil.