Archive for novembro, 2020

Live – Cantos da Natureza

sexta-feira, novembro 20th, 2020

Se você não assistiu no dia 21, pode rever agora, no youtube, é só clicar o quadro abaixo.

Adivinha

terça-feira, novembro 17th, 2020

Esta composição datada de outubro 1986, e, a partir desta postagem, passa a ser dedicada a nossos irmãos Eric Garner e George Floyd.
Que ela possa contribuir com mais amor à nossa humanidade, como um sopro do ar que lhes foi brutalmente negado.

Rascunho por Edgard Poças para CBS.

Adivinha
Tem na terra e tem no mar
Tem no tempo, tem no vento
Tenta adivinhar
 
Tem na luz, tem no som, no céu, no ar
Tem que ter e não pode faltar
 
Adivinha
Tem nas flores e no luar
Tem nos bichos, tem nas cores
Tenta adivinhar
 
Tem na voz, nas canções
Todo lugar tem que ter, e não pode faltar
 
Um coração, quando tem
Tanto faz ele é branco, ele é preto
Vive em paz
 
Um coração que não tem
Tanto faz se ele é branco, ou se ele é preto
Nem é mais um coração
 
Adivinha
Tá na cara e no olhar
Tem no riso, e um sorriso pode revelar
 
É assim, faz sorrir e faz chorar, mas
Tem que ter, e não pode faltar
 
Um coração, quando tem
Tanto faz ele é branco, ele é preto
Vive em paz
 
Um coração que não tem
Tanto faz ele é branco, ele é preto
Nem é mais um coração
Adivinha
Tem na terra e tem no mar
Tem no tempo, tem no vento
Tenta adivinhar
 
Tem na luz, tem no som, no céu, no ar
Tem que ter e não pode faltar
 
Adivinha
Tem nas flores e no luar
Tem nos bichos, tem nas cores
Tenta adivinhar
 
Tem na voz, nas canções
Todo lugar tem que ter, e não pode faltar
 
Um coração, quando tem
Tanto faz ele é branco, ele é preto
Vive em paz
 
Um coração que não tem
Tanto faz se ele é branco, ou se ele é preto
Nem é mais um coração
 
Adivinha
Tá na cara e no olhar
Tem no riso, e um sorriso pode revelar
 
É assim, faz sorrir e faz chorar, mas
Tem que ter, e não pode faltar
 
Um coração, quando tem
Tanto faz ele é branco, ele é preto
Vive em paz
 
Um coração que não tem
Tanto faz ele é branco, ele é preto
Nem é mais um coração

Adivina! Jairzinho & Simony e José Luiz Perales

Adivina esta en la tierra y en el mar
En el tiempo, en el viento intenta adivinar
En el sol, en su luz lo encontraras
Siempre esta y no puede faltar

Adivina esta en las flores, en el cantar
En los rios, en la luna intenta adivinar
En la voz, la oracion lo encontraras
Siempre esta y no puede faltar

Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar
Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar
Es el amor

Adivina esta en la cara y en tu mirar
En la risa y es sonrisa para alegrar
Y tambien sin querer hace llorar
Mas siempre esta y no puede faltar

Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar
Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar

Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar
Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar
Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar
Es el amor

Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar
Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar
Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar
Es el amor que en la vida nos da
La razon para vivir y soñar

Guess What

Guess what
There's on land and there's at sea
There's time, there's wind
Try to guess
 
There's in the light, there's in the sound, in the sky, 
in the air
Must have and can not miss
 
Guess what
It has flowers and moonlight
There are animals, there are colors
Try to guess
 
There's in the voice, in the songs
Every place has to have, and can not miss
 
A heart, when it has
Whatever he is white, he is black
Live in peace
 
A heart that doesn't have
It doesn't matter if he is white, or if he is black
It's not even a heart anymore
 
Guess what
'It's in the face and in the eyes
There's laughter, and a smile can reveal
 
It's like that, it makes you smile and makes you cry, but
Must have, and must not be missing
 
A heart, when it has
Whatever he is white, he is black
Live in peace
 
A heart that doesn't have
Whatever he is white, he is black
It's not even a heart anymore

This composition dated October 1986, and, starting with this post, is dedicated to our brothers Eric Garner and George Floyd. May she contribute with more love to our humanity, like a breath of air that has been brutally denied.

Cantos da natureza: Pau Brasil e Edgard Poças pelo selo Sesc Digital.

quinta-feira, novembro 5th, 2020
CPA:SELO SESC:Comunicação:Logos:selo sesc:selosesc_marca_131008.png

Grupo Pau Brasil comemora 40 anos com o álbum infantil Cantos da Natureza, lançado pelo Selo Sesc

Letras de Edgard Poças musicadas por Rodolfo Stroeter e Nelson Ayres, arranjadas e executadas pelos músicos do Pau Brasil evidenciam as riquezas e belezas da nossa natureza; entre os intérpretes, tem as cantoras Ceu, Marlui Miranda, o cantor Edgard Gianullo e o Trio Amaranto; álbum chega primeiro no Sesc Digital no dia 7 de outubro, e nos demais players de streaming no feriado de 12 de outubro, Dia das Crianças


Trata-se de um projeto educacional e didático que visa apresentar à criança as belezas, emoções e riquezas naturais, com o adulto na leitura das canções. Um disco a ser utilizado até mesmo nas salas de aula.

São 19 faixas que descrevem de forma muito criativa e divertida os quatro elementos da natureza – a água, o fogo, a terra e o ar –, a chuva, a nuvem branquinha, o céu cinzento, o arco-íris, o relâmpago e o trovão. Do mundo animal, um estranho mamífero que bota ovo e que tem um ferrão venenoso, mas é bonzinho. Estamos falando do ornitorrinco, um bicho que pouca gente conhece.

Todas as letras são do compositor, escritor e pesquisador Edgard Poças – criador da Turma do Balão Mágico. Entre os intérpretes, destaque para as cantoras Céu, Marlui Miranda, que já fez parte do Pau Brasil, e Maria Clara Novaes, e os cantores Edgard Gianullo, Renato Braz, Sérgio Santos e Diogo Poças, além do próprio Edgard que canta em duas faixas. Participam também o coral infantil Trovadores Mirins, sob regência da maestrina Lucila Novaes e o Trio Amaranto, de Belo Horizonte, formado pelas irmãs Ferraz, Flávia, Lúcia e Marina.

Cantos da Natureza chega em 2020, mas a sementinha do projeto começou a ser semeada ainda no início dos 1970. A história passa por Rodolfo Stroeter quando, ainda adolescente, aos 14 anos de idade, foi estudar música com Edgard Poças que desembargava em São Paulo, vindo de Portugal, após uma curta temporada no país europeu. E foram nas aulas de iniciação musical que Poças estimulou Stroeter a conhecer também o universo da literatura. A relação do letrista e compositor com o que viria a ser tornar o contrabaixista do Pau Brasil se estabelece a partir daí.

Passadas algumas décadas, Rodolfo Stroeter produzir um disco de música infantil do Trio Amaranto – que também são a gênese deste projeto do Pau Brasil –, e cujo repertório incluiu a Suíte 4 Elementos e O Ornitorrinco, também presentes neste álbum do quinteto paulista. A partir daí, Edgard e Rodolfo intensificaram o trabalho em conjunto com o objetivo de ampliar o repertório de canções. Desta vez, pensado para o grupo Pau Brasil.

“Cantos da Natureza é a celebração de um projeto infantil dentro de um contexto de um grupo de música. É a música cuidada, tratada, arranjada, executada e improvisada, ou não, por um conjunto musical que tem distinção sonora. Depois de 40 anos, o grupo Pau Brasil se tornou um som”, destaca Rodolfo Stroeter.

Das 19 músicas, vale alguns destaques começando pela Abertura Suíte 4 Elementos, onde Edgard Poças transforma em personagens os quatro principais elementos da natureza: a água, o fogo, a terra e o ar. Uma composição com enredo de musical infantil. Segundo o letrista, é a primeira vez que a música infantil se apropria da ideia de Suíte – que é reunir em uma única obra várias peças musicais.

Apresentações feitas, cada um dos elementos naturais chega na sequência com a sua própria canção. Na ordem, Água traz uma singela descrição desta substância química cujas moléculas são formadas por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio. Abundante no universo, em especial no planeta Terra, onde cobre grande parte de sua superfície com rios, lagos e mares.

Fonte de energia e risco às florestas, a música Fogo expõe as diferentes formas encontradas desta mistura de gases a altas temperaturas. Das fogueiras à lava dos vulcões, das lareiras e até mesmo à língua dos dragões. Interpretada pela cantora Marlui Miranda na companhia do Trio Amaranto, Terra lembra que vivemos no planeta que é a casa do mundo e que se trata do elemento natural que precisa dos outros três – o fogo, a água e o ar. Por fim, a mistura de gases que compõem a atmosfera da Terra. Em Ar, a letra de Edgard Poças destaca que todo mundo precisa e quer um ar puro e é por isso que dizemos: chega de poluição!

Edgard Poças relaciona todos esses aspectos da natureza para trazer um mundo melhor às crianças. A nossa natureza que é linda, viva, colorida e movimentada, é também lembrada através das flores, das estrelas, do som, do mar e até dos peixes que não são peixes.

A nuvem branquinha, o céu cinzento, o relâmpago e o trovão, a chuva e o arco-íris aparecem em forma de canções na Suíte da Chuva. Em Adivinha, Quem Sou Eu?, está o som e a sua propagação em suas múltiplas formas, presente em todos os lugares e todos os cantos. A letra de Chuva começa com uma nuvem que parece um carneirinho e, de repente, se transforma em um leão.

Com letra e interpretação de Edgard Poças, a cantiga de ninar Soneca é a composição do disco para os adultos embalarem os bebês no sono. A letra é um convite a contar, um a um, a passagem dos Sete Anões. Do sabido Mestre ao carinha amoroso que é o Feliz, sem se esquecer do engraçado do Dunga, do mal-humorado do Zangado, do faceiro e manhoso do Dengoso e do Atchim. E cadê o Soneca na terra dos sonhos?

Repertório, acesse o link abaixo.